rkamehama

Passo a passo √© um conjunto de bancos que auxiliam as aulas de educa√ß√£o f√≠sica para crian√ßas com m√ļltiplas defici√™ncias

O desenvolvimento do "passo-a-passo" iniciou-se durante o trabalho voluntário na Escola Ahimsa, nela ouve a possibilidade de observar as aulas dadas para as crianças.
Durante as observa√ß√Ķes, as aulas de educa√ß√£o f√≠sica chamaram muito a aten√ß√£o, por n√£o parecer com as tradicionais das escolas p√ļblicas. As mesmas ofereciam diferentes produtos de aux√≠lio espec√≠fico para as crian√ßas.
Dessa maneira optou-se pelo ambiente para o desenvolvimento do produto.

Ano: 2017
Duração: 4 meses
Desenvolvido para: Ahimsa - na disciplina de Design de brinquedos e brincaderas
Desafio: Desenvolver um brinquedo ou brincadeira para alunos com m√ļltiplas defici√™ncias.
Equipe: Rebecca Kamehama (Designer)
Papel Desenvolvimento de Conceito
Entrevistas e coleta de dados
Projeto
Prototipação
Teste




Cover

1. pesquisa

O processo come√ßou a partir das observa√ß√Ķes feitas durante o desenvolviemtno de outro projeto, assim quando surgiu a possibilidade de costru√ß√£o de um novo produto ("brinquedo") foi considerado a escola como uma op√ß√£o.

pesquisa

O local

O local selecionado para desenvolvimento conjunto do projeto foi a escola de educa√ß√£o especial AHIMSA, a mesma √© uma associa√ß√£o educacional para m√ļltipla defici√™ncia.
Localizada na Vila Mariana (zonal sul da cidade de S√£o Paulo), a escola foi fundada em 1991, e tem o objetivo de atender alunos com surdocegueira e defici√™ncia m√ļltipla sensorial, os mesmos buscam estimular a inclus√£o do indiv√≠duo, com tais defici√™ncias, na sociedade com uma melhora significativa da qualidade de vida.
A escola atualmente recebe crianças, jovens e adultos (de 1 a 29 anos), e oferece diversas atividades, adaptadas para cada indivíduo.

pesquisa

M√ļltipla defici√™ncia sensorial

A definição mais simples dessas deficiência tão particular é a associação de duas ou mais deficiências, mas isso não se trata de uma simples somatória o efeito delas é multiplicador tornando assim mais problemas e dificuldades na sua inclusão social. Pode afetar o desenvolvimento, funcionamento, a comunicação, a interação social e a aprendizagem de tais indivíduos necessitando assim de formas específicas de educação.

Surdocegueira

A surdocegueira n√£o √© apenas a simples somat√≥ria de uma surdez e cegueira, e nem o problema de comunica√ß√£o e percep√ß√£o, a mesma √© uma defici√™ncia √ļnica, com suas peculiaridades e necessidades pr√≥prias.

Educação física adaptada

As atividades físicas para deficientes, começou com a reabilitação de jovens lesionados nas guerras, o mesmo era considerado essenssial na recuperação e na integração social.
A EF era baseada em um exame que definia se o estudante seguiria aulas do programa normal ou do corretivo. Em muitas escolas, os alunos defici√™ntes eram dispensados das aulas de EF normal. Com a obrigatoriedade da aula de EF nas escolas p√ļblicas o n√ļmero de profissionais qualificados na √°rea aumentou siginificantemente.
A EF adaptada (EFA) discute problemas biopsicosociais da população, considerada de baixo rendimento motor (portadores de deficiência física, sendorial, mental ou deficiência multipla). A EFA busca tratar sem desigualdades os alunos, tornando a auto-estima e autoconfiança mais elevada. (Duarte; Lima 2003)

Observação

A observa√ß√£o foi feita no mesmo dia da entrevista com o professor de educa√ß√£o f√≠sica (5 de mar√ßo), foram observadas as turmas da manh√£ e da tarde, co intuito de verificar as diferentes aplica√ß√Ķes das atividades para p√ļblicos com n√ļmeros diferentes e idades distintas.

Alunos da manhã 8h30 às 11h - 16 a 20 anos - 3 alunas

A atividade executada foi uma união do circuito com a musculação. A tarefa das alunas era passar por cima de uma corda, subir em um banco de aproxiamdamente 4 metros de comprimento, segurando em uma corda deveriam se equilibrar até atingir o final, voltar e percorrer o mesmo percurso, uma vez no final do banco desce, pulam a corda novamente, sobrem 3 degraus e descem uma rampa, passam para o aparelho de musnculação (trabalha pesnas e braços).
A atividade se repete no m√≠nimo 5 vezes, todos os passos s√£o executados com o aux√≠lio do professor que se posiciona ao lado de cada uma das meninas e trabalha com cada uma de forma individual. Durante todo o exerc√≠cio o r√°dio pe usado, por√©m o mesmo toca m√ļsicas da atualidade (especificamente a r√°dio metropolitana).

Alunos da tarde 13h30 às 16h - 7 anos - 1 aluno

O aluno executou tarefas semlhantes o da manhã, primeiramente sobe no banco caminha até o final, desce, pula um obstáculo, sobre 3 degraus, desce a rampa e é colocado em um balanço. A atividade é executada com o auxílio do professor que se posiciona atrás do aluno segurando as duas mãos da criança.

Entrevistas

A entrevista semi-estruturada foi executada em dois momentos, sendo o primeiro com a coordenadora da escola e no segundo com o professor deeducação física da intituição.
A primeira entrevista foi feita no dia 3 de mar√ßo, no per√≠odo da manh√£, executada com perguntas abrangentes buscou-se incentivar o entrevistado a passar o maior n√ļmero de informa√ß√Ķes pooss√≠veis.

Brinquedos adaptados e n√£o adaptados usados na escola

Não tem brinquedos voltados a pesssoas com deficiencia multipla sensorial ou surdocegueira, os usados pela escola ou são feitos especificamente para crianças com apenas uma deficiência como surdez ou cegueira, ou são brinquedos infantis que acabam não sendo adequados para a idade mais avançada dos alunos.

A import√Ęncia da educa√ß√£o f√≠sica

A educa√ß√£o f√≠sica, como a fisioterapia, s√£o importantes para evitar o enrrigecimento dos m√ļsculos. Atividades como essas ajudam o desenvolviemnto da aten√ß√£o, o ensino do esperar a vez (convivio em sociedade) e tamb√©m o desenvolvimento e fortalecimento muscular.

Atividades praticadas na educação física

O professor de educação física, desenvolve dois tipos de de atividades com os alunos, o circuito feito com diversos objetos e obstáculos e a musculação praticado máquinas e pesos.

Quantos alunos praticam a educação física

No total s√£o 32 alunos, divididos em 16 no periodo da manh√£ e 16 no periodo da tarde, esses divididos nos dias da semana dando uma m√©dia de 4 alunos por dia. Os alunos da manh√£ apresentam idade de 16 a 20 anos e os do per√≠odo da tarde de 7 a 14 anos. No geral as turmas s√£o divididas por idade e por condi√ß√Ķes motoras como o uso ou n√£o de cadeira de rodas (o √ļltimo por quest√Ķes de seguran√ßa).

Detalhes observados

O ambiente onde são executadas as atividades físicas, mesmo que consideravelmente grande é usado na maior parte do tempo como área de passagem, fazendo com que os aparelhos fixos sejam colocados nas pequenas partes que não são usadas como caminho.
A constante movimentação distrai os alunos, fazendo com que no período das 7 da manhã o professor tenha que chamar a atenção do aluno com frequência, atrapalhando o andamento da atividade.

Produtos existentes no mercado

Observando os objetos usados nas escolas, nota-se que os mesmos permanecem antigos com pouca explora√ß√£o material, o mesmo acontece com os materiais usados na educa√ß√£o f√≠sica adaptada apresentando poucas op√ß√Ķes nacionais e de baixo custo.
Foram levantados op√ß√Ķes de brinquedos/equipamentos que s√£o interessantes para o desenvolvimento do projeto, os mesmo s√£o internacionais e com o custo elevado.

pesquisa

2. Interpretação

As atividades oferecidas pela escola foram observadas em várias visitas a instituição, as mesmas foram separadas em categorias de locais onde são oferecidas como forma de facilitar a escolha do ambiente que ofereceria maiores oportunidades de desenvolvimento de projeto.

pesquisa
pesquisa

Espaço de estudo

Foram desenvolvidos alguns desenhos se observa√ß√£o para melhor compreender o espa√ßo dispon√≠vel para a aula e a distribui√ß√£o atual dos aparelhos que a institui√ß√£o possui. A observa√ß√£o abrange tamb√©m √°reas de circula√ß√£o, considerando que a √°rea usada tamb√©m √© acesso a outros lugares e o grande n√ļmero de alunos cadeirantes.

pesquisa
pesquisa
pesquisa
pesquisa
pesquisa

Requisitos de projeto

Os requisitos de projeto foram separados pelas categorias. fulcional, operacional e contrutivo, separando assim as necessidades de cada parte do produto a ser desenvolvido.
O mesmo foi classificado pelos níveis: interessante, desejável e impressindível, para definir caracteristicas necessárias no projeto. Foram separados as áreas das quais tais requisitos interferem como uso, usuário e produto, faxcilitando a visão de qual parte afetam no projeto.

requisitos

Com as entrevistas e observa√ß√Ķes, considerou-se um usu√°rio direto e um indireto. Considerando o direto aquele que entrara em contato diretamente com o produto e o indireto apenas o que o compra. Os pais/respons√°veis podem desenpenhar ambos os pap√©is de diretos e indiretos.
O principal p√ļblico selecionado s√£o as crian√ßas de 7 a 14 anos, frequentadoras das aulas de educa√ß√£o f√≠sica da escola de ensino especial AHIMSA.

"Como n√≥s podemos criar um produto que aux√≠lie professores de educa√ß√£o f√≠sica nas aulas dadas a alunos com m√ļltipla defici√™ncia em circuitos"

3. Ideação

Foi selecionado para o desenvolvimento do projeto o banco sueco, por aparecer na maior parte dos circuítos observados

O brainstorming foi desenvolvido a partir dos requisitos, assim facilitando a geração de alternativas e seleção das mesmas.

ideação

4. Prototipação

Considerando a grande variedade de materiais utilizados na educa√ß√£o f√≠sica, o primeiro modelo se focou no circ√ļito praticado pelos alunos. O desenvolvimento de um kit que proporcionasse uma maior flexibilidade no desenvolvimento da atividade foi a solu√ß√£o escolhida.

prototipação
prototipação

Uma vez que tinhamos o projeto em 3D do banco, iniciamos a produção seguindo as medidas do modelo.

prototipação
prototipação
prototipação
prototipação
prototipação

O modelo foi construído com uso de ferramentas básicas da marcenaria para garantir que poderia ser repícável sem a necessidade de materiais complexos e tecnologias inacessíveis á marceneiros de bairros mais carentes.

5. Teste

O projeto foi levado na intituição, onde foi indicado que as diferentes cores poderiam ajudar no andar, indicando onde poderia ser colocado os pés da criança.
No protótipo 1 considerou-se a modificação da forma geral do produto deixando-a quadrada com os cantos arredondados, foram trocadas as varetas por caibros e adicionado uma plataforma para o piso. As pequenas placas foram retiradas sendo subistituídas por placas fixas com chão levemente almofadado de EVA.
Manteve-se as peças externas para aplicação de uma ponte menor. O teste apresentou problemas na estabilidade, uma vez que o aluno coloca o pé na beira do objeto para garantir que não á chão abaixo.
O giro do produto obtendo as pegadas foi aceito como uma boa ideia e a forma também agradou pelo fato de ser modular e de fácil montagem.
O brinquedo manteve as medidas gerais, possindo nas laterias 300 x 300 mm e comprimento de 400 mm. Os materiais usados foram caibros de eucalípto e placas MDF, unidos com parafusos simples de madeira.

teste
teste

Altera√ß√Ķes

1. Mudar a forma geral para uma mais est√°vel
2. Usar um piso mais resistente e grosso
3. Trocar o MDF por uma material mais leve
4. Evitar texturas muito chamativas para não distrair as crianças
5. Melhorar a forma para torn√°lo mais f√°cil de reproduzir.

6. Prototipação

O modelo teve sua forma modificada para ganhar mais estabilidade, assim voltando a forma trapezoidal, o mesmo recebe uma inversão do módulo central conseguindo assim mante uma forma estável e de fácil reconhecimento dos passos a serem dados.
Mantendo a ideia inicial de oferecer os mesmos benefícios de um banco sueco o mesmo possui a possibilidade de união em grupos de 3 peças para formar assim o comprimento aproximado da peça de inspiração original.
Para o desenvolvimento do protótipo optou-se por utilizar cores como vermelho e amarelo por apresentar maior contraste com o chão atual da escola onde ele será testado que é azul escuro.

ideação
ideação
prototipação
prototipação
prototipação
ar app


prototipação

7. Teste

O segundo tese foi feito na escola, nele pudemos observar que o conjunto de bancos foi bem sucedido, mas era necess√°rio o uso de um n√ļmero impar para maior estabilidade.
Como o produto é pequeno poderia ser facilmente guardado, ocupando pouco espaço.
Algumas peças externas devem ser retiradas e colocadas para a parte interna, garantindo assim uma segurança maior para os alunos.

teste
teste

8. Entrega

O kit 1 do passo a passo permite três diferentes usos, como é possível ver a seguir.
Em casos onde é usado mais do que um módulo deve-se intercalar as cores, para criar assim o caminho que indica os passos.

conjuntos
conjuntos
conjuntos
materiais

Aprendizados

Esse projeto foi muinto importante, pois me auxilou a superar v√°rios obst√°culos do ponto de vista de projetar algo que seria testado por crian√ßas como tamb√©m limita√ß√Ķes de transporte de materiais das lojas para a universidade (feitos todos "no bra√ßo" usando transporte p√ļblico ūüí™).
O projeto ainda tem muito a ser melhorado, e esta em processo de testes para que possa ser oferecido para a escola que nos ajudou a contruir e test√°-lo.

Esse projeto foi desenvolvido na disciplina de design de brinquedos e brincadeiras, juntamente com o LAB design da FAU USP.